Podcast CBN

O simples sem ser banal

25/12/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre repouso almejado, a simplicidade procurada. Temos de lidar com aquilo que nos dificulta um pouco o repouso almejado.

O mundo adulto nos dá autonomia, mas coloca uma carga imensa

24/12/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre circunstância isolada, a condição inefável. Ele destaca a percepção de uma carga imensa sobre ombros frágeis. Cortella faz uma reflexão sobre a vontade de retomar o espírito de estar dentro da boa infância.

A autoafirmação e o risco do autoengano

23/12/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre ilusão pessoal, a teimosia obcecada. Pessoas que fingem que o que fazem é perfeito e imune ao estado de crítica.

Queremos a vida mais extensa, mas não desejamos o que ela acarreta

22/12/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre direção contraditória, a situação ambígua. Ele cita o pensador Marco Túlio Cícero em um dos seus escritos sobre a velhice para ajudar na reflexão.

A impunidade por completo é uma condição impossível

21/12/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre condição impossível, a impunidade recusada. Cortella faz uma reflexão sobre responsabilidade, justiça e injustiça.

O amigo se torna um parente pelo coração

18/12/2020

Nesta época em que queremos estar próximos das pessoas queridas, fica evidente a importância da amizade. Mario Sergio Cortella cita uma frase do escritor Pedro Nava para lembrar que, muitas vezes, amigos se tornam parte da família.

Tempos agoniantes e a importância do professor

17/12/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre imagem revigorada, a compreensão forçada. O ensino remoto durante a pandemia mostrou aos pais a importância do trabalho do professor.

Suspeitar de si mesmo pode ser bom ou ruim

16/12/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre engano distraído, a pressão convencida. A reflexão é sobre o risco de duvidarmos da nossa capacidade diante do que os outros dizem de nós.

O desânimo diante da falta de solução para a crise

15/12/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre sonho alterado, horizonte distante. O tempo que passa e nem sempre se enxerga aquilo que pode nos apoiar, nos acalmar. Ele acrescenta que, em tempos de turbulência, especialmente na proteção das nossas vidas, enquanto não se encontra uma solução, a nossa forma de desejo é retornar a momentos anteriores.

Uma inconsequência danosa que gera uma consequência malévola

14/12/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre egoísmo desastroso, a inconsequência danosa. Pessoas que deixam de cuidar do futuro coletivo a partir daquilo que é do seu interesse imediato e exclusivo. Para ajudar na reflexão, Cortella cita um trecho da obra Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio, de Nicolau Maquiavel.