Podcast CBN

A ponderação para combater a brutalidade das nossas próprias ideias

05/02/2021

Você sabe o que é noção parcial ou critério relativo? É aquela necessidade que temos de fazer com que a pessoa deixe de agir como age. Cortella explica que essa noção é muito perigosa. Quando a gente é capaz de um ato inteligente de colocar sob análise crítica nossas próprias ideias, reduzimos a brutalidade que, vez ou outra, vem à tona.

Mas que gigante é esse, afinal?

04/02/2021

Visão dramática, que história é essa? Será que cabem otimismo e capacidade de cuidar do coletivo neste momento de nossas vidas? Cortella cita educador paulista Lourenço Filho que, em obra da década de 1920, escreveu: o Brasil não é o gigante que dorme, mas um gigante com sistema nervoso incompleto. Um grande corpo capaz de destruir-se a si mesmo.

Qual é o nosso limite?

03/02/2021

Mario Sergio Cortella fala sobre fronteira evidente, o horizonte visível. Ele faz uma análise sobre a situação atual, em meio a pandemia. A ideia do basta. Há limites?

A intencionalidade desviante

02/02/2021

Mario Sergio Cortella fala sobre desvio intencional, confusão propositada. Pessoas que deliberadamente produzem o desordenamento das ideias, das práticas. Que fazem afirmações, que levantam argumentos que não tem embasamento; gente que se habitua a driblar a verdade.

Numa comunidade de vida não pode haver privilégio

01/02/2021

Mario Sergio Cortella fala sobre prioridade exclusiva, o privilégio requerido. São tempos que nós temos que estar atentos a discursos, práticas e conversas que acabam fraturando o que é a percepção de uma comunidade.

Nunca é tarde para ir mais além

01/01/2021

Mario Sergio Cortella lembra da frase do poeta e dramaturgo italiano Gabriele dAnnunzio para destacar a importância de persistir, insistir e resistir nesse ano novo, mesmo em meio à tempestade da pandemia. É uma disposição absolutamente imprescindível para que a gente não deixe de caminhar em direção ao que é necessário, afirma o comentarista.

A historia julga só os resultados e não os propósitos

31/12/2020

A frase, de Gregorio Marañon, é tema do comentário de Mario Sergio Cortella. O filósofo faz uma reflexão sobre ação conclusiva, o término aberto. Ele destaca que, no momento em que o ano termina, temos que pensar nas coisas que fizemos e também nas que deixamos de fazer.

Viajar para quê? Para buscar ou para fugir?

30/12/2020

Mario Sérgio Cortella faz uma reflexão sobre saída estratégica, o motivo específico. Ele destaca que, sempre que chega essa época do ano, desperta em nós o desejo de sair, de viajar. Érico Veríssimo um dia escreveu: Na minha opinião, existem duas categorias principais de viajante. Os que viajam para fugir e os que viajam para buscar.

Não confie em quem não valoriza a vida e a fraternidade

29/12/2020

Mario Sergio Cortella faz uma reflexão sobre fraternidade abalada, o fundamento frouxo. Ele destaca a importância de procurarmos pessoas que sejam autênticas para não desabar nossa relação, nosso afeto, nossa confiança. E cita Sheakspeare, que escreveu: quem constrói em um coração vulgar, acaba tendo uma casa torta e insegura.

O desejo pela monotonia

28/12/2020

Mário Sergio Cortella faz uma reflexão sobre desejo intenso, o sossego exagerado. Ele destaca que, nesses tempos intensos, há uma enorme vontade pela monotonia. Um dia escreveu Charles Dickens: Tudo por uma vida calma. Como disse o sujeito quando aceitou o emprego no farol.