Podcast CBN

Quando a tecnologia se torna tediosa...

06/11/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre tecnologia pretérita, o espanto tedioso. A tecnologia do passado já trazia algum tédio, imagina nesse momento em que tudo é delivery.

A autoridade deve ser respeitada e não temida

05/11/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre autoridade respeitada, a admiração essencial. O poder como liderança e não como mero comando é algo que marca a capacidade, inclusive, de ter uma autoridade que seja respeitada e não somente temida, obedecida.

Algumas religiões se colocam no caminho que acaba sendo destrutivo

04/11/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre religião dispensável, a fé limitante. Há muitas estruturas de religiosidade que formalizadas como religião acabam tendo uma forma dispensável de prática.

A nostalgia e suas contradições

03/11/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre nostalgia impossível, a lembrança desejada. Ele destaca o comportamento de pessoas com mais idade se referem ao momento de infância como sendo muito melhor e também muito difícil.

O tempo que temos coincide com a nossa vida

02/11/2020

Mario Sergio Cortella fala sobre providência adiada, a demora perigosa. Ele faz uma reflexão sobre a necessidade de não se procrastinar aquilo que tem que ser feito no tempo certo.

A beleza folclórica do Saci-Pererê

30/10/2020

Mário Sergio Cortella destaca a importância do Saci-Pererê, uma das nossas figuras folclóricas mais lendárias. E cita poesia escrita por Gilberto Mendonça Teles, no livro Saciologia goiana: o saci-goiano é do pererê. Passa o ano todo junto de você, erguendo saia de moça dengosa, pulando cerca e contando prosa, ver redemoinho de poeira, junto à porteira, numa perna só, com seu lápis preto, fazendo soneto de vento e cipó.

A distorção da fé é mais ofensiva que a ausência dela?

29/10/2020

Mário Sergio Cortella faz uma reflexão sobre ofensa expressiva, a prática distorcida. Ele cita a frase de Denis Diderot, que diz: a superstição é mais injuriosa a Deus que o ateísmo. Ou seja, a descrença, na cabeça divina, pode ser interpretada como uma falta de conhecimento. Já a superstição é a má prática dentro de algo que se imagina conhecer.

Relaxar antes da hora pode nos conduzir a um risco

28/10/2020

Mário Sergio Cortella faz uma reflexão sobre distração arriscada. Um relaxamento precoce pode nos conduzir a um risco forte quando se cessa aquilo que nos cuida. Olegário Mariano um dia escreveu: Cigarra Levo a ouvir-te o dia inteiro, gosto da tua frívola cantiga, mas vou dar-te um conselho, rapariga: trata de abastecer o teu celeiro.

Tem gente que vai além do fundo do poço na incompetência

27/10/2020

Mário Sérgio Cortella faz uma reflexão sobre competência limitada, a piora desejada. Ele destaca que há pessoas que a gente nem imagina que sejam capazes de ir além do fundo do poço. E, em alguns momentos, esse modo de expressão acaba trazendo um tipo de humor.

O perigo das ideias falsas e do delírio de alguns sonhadores

26/10/2020

Mário Sergio Cortella faz uma reflexão sobre falsidade danosa, a realidade fraturada. Ele destaca que algumas formas de sonhar podem ser, de algo modo, um delírio e que é preciso cautela para que não haja uma fratura da realidade. Comentarista cita o escritor francês Anatole France, que disse: Toda a ideia falsa é perigosa. Crê-se que os sonhadores não fazem mal; é engano, pois fazem-no e muito. As utopias aparentemente mais inofensivas exercem realmente uma ação nociva. Tendem a inspirar o nojo da realidade.